Curso de Formação em Circo Social é sucesso

Entre os dias 11 e 15 de julho, ocorreu, no Circo Laheto, o Curso de Formação em Circo Social. Ministrado por arte-educadores do próprio Circo, além de educadoras da Escola Pernambucana de Circo, com o apoio do Cirque du Soleil.
Durante os cinco dias do curso, 29 arte-educadores de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso Sul, Pará e Tocantins participaram de dinâmicas de grupo, leitura coletiva, construção de músicas e cordel, jogos criativos e discussões. “Refletimos sobre o circo social, os pilares dele, história e conceito, educação popular, criatividade, metodologia pedagógica, segurança e funções do educador”, Lucas de Sousa (Batatão), arte-educador e um dos ministrantes do curso.
A formação foi baseada na metodologia criada pelo Cirque du Soleil, que elaborou uma apostila e já ministrou vários cursos nos núcleos de referência em formação da Rede Circo Mundo Brasil. Em Goiânia, os arte-educadores Lucas de Sousa, Larissa Sttefany de Paula e Mayke Nogueira, do Circo Laheto; e Hammai de Assis Vieira e Hosani Gomes de Santana, que participaram desses primeiros seminários, foram os responsáveis pela formação dos novos educadores.
“A principal atividade do circo social não é formar um artista, mas acolher e dar oportunidades para o aluno. O Circo Social é um circo de inclusão, onde a gente propõe oportunidades. É um espaço lúdico e seguro, onde as crianças se sentem acolhidas, seguras psicologicamente e fisicamente. Alguns temas que são trabalhados na escola regular como transversais, no Circo Social são centrais, como com ética, meio ambiente, garantia de direitos de crianças e adolescentes. E o curso ajuda os arte-educadores a criar atividades para isso”, esclarece Mayke Nogueira (Zé Butina), arte-educador e um dos ministrantes do curso.
A experiência foi vista como positiva pela Coordenadora Pedagógica do Circo Laheto, Seluta Rodrigues: “Cada vez que os educadores participam dessa formação, voltam cheios de novas ideias, fomenta neles a vontade de ajudar de forma lúdica e criativa. A grande contribuição do Circo Social é a metodologia alegre, e, através dela, ajuda a construir a identidade cultural dessas crianças”.
O diretor do Circo Laheto, Maneco Maracá, ressalta a importância desse tipo de curso: “O Circo social é uma ferramenta nova e ainda estamos numa fase de construção de metodologia. É fundamental que tenhamos um suporte básico para educar. Apesar de já termos uma prática de mais de vinte anos, ainda estamos na estrada para a construção disso”.
Os participantes do curso também fizeram uma avaliação positiva: “Nós do Circo do Mato não conhecíamos a rede, apesar de desenvolver atividades com Circo Social há quase dez anos. Então, participar deste encontro nos fortalece, ao saber que existem pessoas nos diversos cantos do país e também no mundo fazendo o mesmo que nós , sistematizar o circo social no Brasil”, Mauro Alves Guimarães , Campo Grande-MS.
DSCN1651

Publicado em Destaque, Notícias.